Flautista, tecladista, compositor, Marcus começou a estudar música aos seis anos de idade, tocando acordeão.

Em 1977 ingressou no grupo Bacamarte, tocando flauta transversa, doce e acordeão. O álbum Depois do Fim, lançado em 1983, é considerado um dos mais importantes discos do cenário progressivo brasileiro.

Em 1988 iniciou carreira solo, compondo música para teatro, vídeo, dança, instalações de arte e web. Em 1992 sua trilha a para a peça "Noturno, Sonetos e Canções de illiam Shakespeare", dirigida por João Gomes e encenada no Museu da República - RJ, foi considerada pela crítica especializada um dos melhores trabalhos daquela tremporada. No mesmo ano, compôs a trilha de "Emoções Terminais", ballet da companhia de dança de Regina Miranda, que inaugurou a exposição de arte oficial da Rio 92, no Muszeu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Marcus trabalhou com os artistas plásticos Christina Oiticica e Mauro Fainguelernt, entre outros. Sua música também aparece no curta metragem "Nós, que gostávamos tanto dele", do diretor Luiz Carlos Lacerda.

Marcus tamém participa do projeto Roque Malasartes, tocando teclados, flautas e acordeão e continua tocando flautas e acordeão com o grupo Bacamarte.




todas as faixas foram compostas, arranjadas e interpretadas por Marcus Antonio Moura.   Aulas de Homestudio e Produção Musical
músico convidado: Reppolho. percussão em "Rio Negro".
crédito das imagens: esquerda e direita por Gabriel Skinner / centro por Mariane Branco.
©2013 Marcus Antonio Moura - todos os direitos reservados.
 
info@marcusmoura.com.br